segunda-feira, 9 de março de 2009

RUPTURAS



Nestes últimos dias, parece que criei uma compulsão pelo botão "delete" no meu teclado. Escrevo, escrevo e escrevo. E logo após apago, apago e apago.
As palavras tem muitas faces, e talvez seja porisso este meu escrever cuidadoso.
Silênciar é preciso, muitas e muitas vezes. Em boca fechada ou em página em branco, a chance de não entrar mosquito ou de dizer coisas que não queremos realmente dizer, é bem grande!
Ficar quieto, numa postura de flexibilizar o pensamento.
Especialmente quando o que o coloca nesta posição é o sentimento de tristeza pela perda de alguém muito caro, de grande importância para você.


BONS AMIGOS
(Machado de Assis)

Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir.
Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.
Amigo a gente sente!

Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.
Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.
Amigo a gente entende!

Benditos os que guardam amigos, os que entregam o ombro pra chorar.
Porque amigo sofre e chora.
Amigo não tem hora pra consolar!

Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade.
Porque amigo é a direção.
Amigo é a base quando falta o chão!

Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros.
Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.
Ter amigos é a melhor cumplicidade!

Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinho,
Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!

4 comentários:

  1. Parabenizando pela sensibilidade e complementando, Sr...
    Amigo é o que te aceita como vc é, apesar de...

    ResponderExcluir
  2. Este poema de Drummond é meu companheiro em momentos mais difíceis. Me traz paz. Espero que lhe traga o mesmo sentimento.

    Consolo na praia

    Vamos, não chores
    A infância está perdida.
    A mocidade está perdida.
    Mas a vida não se perdeu.

    O primeiro amor passou.
    O segundo amor passou.
    O terceiro amor passou.
    Mas o coração continua.

    Perdeste o melhor amigo.
    Não tentaste qualquer viagem.
    Não possuis casa, navio, terra.
    Mas tens um cão.

    Algumas palavras duras,
    em voz mansa, te golpearam.
    Nunca, nunca cicatrizaram.
    Mas, e o humor?

    Carlos Drummond de Andrade

    (1902-1987)

    ResponderExcluir
  3. Gostaria de ter um amigo assim.
    Mas infelizmente, a vida nos presenteia com interesseiros amigos.
    Fica o tempo todo os espinhos da rosa, trazendo alegria e dor.
    Beijos
    Flor de Liz

    ResponderExcluir
  4. Sao tantas as duvidas e incertezas.. gostaria de mais contato..
    beijos

    ResponderExcluir